No ano de 1937, a UNECIM iniciou sua história em Russas com a denominação de Patronato Coração Imaculado de Maria, sob a direção das Irmãs Cordimarianas. A tarefa de educar para essas religiosas sempre consistiu na missão de promover o desenvolvimento integral das crianças, unindo a formação religiosa e acadêmica.

Inicialmente uma Escolinha de Artes Plásticas, posteriormente, Ginásio Coração Imaculado de Maria. Em 1950 com o título de Escola Normal Coração Imaculado de Maria. No decorrer dos anos foram implementados diversos cursos, contribuindo na formação educacional do povo russano, sendo referência no Vale do Jaguaribe pela sua trajetória educacional, comprometida com a Fé e o Saber, haja vista ter formado ao longo desses 82 anos tantas gerações. Nesse contexto, a excelência pedagógica se faz presente em todas as suas ações, promovendo em nossos alunos habilidades acadêmicas e pessoais que atendem às exigências de uma sociedade em constante transformação. Podemos, assim, dizer que nosso objetivo principal é oferecer aos nossos alunos uma formação intelectual e afetiva, alicerçada numa vivência cristã.

Em 1972 unifica os cursos existentes e recebe o título de Unidade Educacional Coração Imaculado de Maria. Em 2014 o Conselho Estadual de Educação a denomina Colégio Coração Imaculado de Maria permanecendo a UNECIM com Mantenedora.

Nossa História

Somos uma Escola de identidade Católica confessional, da Rede de Educação Cordimariana, Isso significa dizer que o modo como assumimos a missão educativa encontra seu fundamento e inspiração no carisma religioso que nos é próprio, tendo em Jesus Cristo sua centralidade e em Maria o modelo de educadora e inspiradora.

Quem Somos

“Esta obrazinha, pequenina entre as pequeninas, nasceu na humildade, na pobreza, sem apoio, sem intervenção nem de ricos nem de poderosos, nasceu forte de um pai fraco e miserável, porque a Mãe é forte e poderosa e essa obra é toda dela.” Assim se expressa o Padre Júlio Maria ao fundar a Congregação das Filhas do Coração Imaculado de Maria.

E continua... “chegando em Macapá, a impressão não podia ser pior. Como fundar uma Congregação numa cidade tão distante, tão afastada de todo centro civilizado, no meio de um povo indiferente espiritualmente, sem recursos. Não vi possibilidade nenhuma, e entretanto conservei firme a minha convicção. Não será provavelmente aqui, mas Deus me revelou: a obra há de ser feita.

Dediquei-me ao santo ministério, trabalhando a salvação das almas, visitando as famílias e atraindo-as pouco a pouco à frequência da Igreja e dos Sacramentos.” Padre Júlio Maria conseguiu fundar escolas para os jovens, teatro, cinema, banda de música, várias associações. Necessitava de irmãs para educar essas crianças e jovens. Enfim, teve a ideia de fundar uma congregação de religiosas que iriam ajudar na paróquia, nas missões e no cuidado com os estudos das crianças e das jovens.

Congregação

Nascido a 7 de janeiro de 1878, na Bélgica, torna-se Missionário em três Continentes. Jovem de 16 anos parte para a África e convive em comunidades de extrema pobreza. Retorna à Europa, ordena-se sacerdote e, pelo vigor de sua fé e a força da sua palavra se faz reconhecido como grande Pregador de Missões.

Enviado ao Brasil, aos 34 anos, atravessa mares e aporta em Recife, no dia 15 de outubro de 1912. O Nordeste é o marco. De Pernambuco chega a Natal. Prega missões em vários municípios do Rio Grande do Norte e da Paraíba. O destino, porém, era a Amazônia para onde seguiu em missão. Insere-se na floresta. Ele era tudo para o povo de Macapá.

Sempre impulsionado por fortes inspirações, segue para Manhumirim, Minas Gerais, e realiza mais um sonho: funda a Congregação dos Missionários Sacramentinos e as Missionárias Sacramentinas de Nossa Senhora. O seu ser missionário se perpetua nas Congregações que fundou e também através dos leigos que se comprometem com seu Carisma e sua Missão: irradiar o amor à Eucaristia e a Maria.

Fundador
    A Proposta Educativa Cordimariana compreende quatro objetivos fundamentais:
  • Possibilitar a todos, em especial aos educandos, serem agentes do seu processo de desenvolvimento.
  • Oportunizar ao educando tornar-se comunitário, crítico, criativo e responsável.
  • Proporcionar um ensino de qualidade, promovendo a vivência de um currículo que: favoreça o desenvolvimento de competências e habilidades; a ampliação do processo de construção do saber; o incentivo à pesquisa e a valorização de descobertas; a realização de atividades significativas e desafiadoras; a interação e a expressão sob as mais diversas formas; o respeito às diferenças; a preservação do ambiente como valorização da vida; uma transformação social, investindo, por isso, em um posicionamento político e socioeconômico crítico e no conhecimento adequado da realidade; o compromisso com a formação humana e cristã.
  • Desenvolver no aluno o cultivo da fé, estimulando-o a revelar o Coração de Maria em sua compaixão e misericórdia.
Proposta